domingo, 24 de abril de 2011

Casório Real

          O casamento entre Kate Middleton e o príncipe William está em evidência pois os votos serão firmados na próxima sexta-feira dia 29 de Abril e a mídia (quase) inteira está em polvorosa. Os anúncios na televisão chegam a cansar, tem CNN, Globo News, E! Entreteniment Television, GNT, vai ser cobertura que não acaba mais e eu não posso enganar ninguém, também estou curiosa. A verdade é que este é o primeiro casamento real da minha geração  e acompanhar o glamour e a formalidade desta cerimônia em terras distantes causa um certo interesse. Além da nossa curiosidade feminina sobre qual vestido Kate irá usar e que penteado escolherá , todo o bafafá sobre o casamento real também suscita algumas questões que ficam meio esquecidas com o passar do tempo. 
         Na verdade é nessas horas que paramos (pelo menos eu) pra pensar como funciona esse negócio de Monarquia. Como ela sobrevive há tanto na Inglaterra? (em outras terras também existe, mas a impressão é de que na Inglaterra tem força como nenhuma outra). Tenho certeza que isso é assunto para sociólogo e cientista político mas eu como leiga poderia ensaiar algumas teses. Um regime monárquico é plausível nos dias de hoje? Como funciona a relação entre parlamento e realeza?    
        Eu cheguei a algumas conclusões. Infelizmente nenhuma delas responde às perguntas acima. É o seguinte: acho que pode (e deve) haver renovação na monarquia afinal todo regime que se preze deve acompanhar o ritmo político e ideológico de sua época, ainda mais aquele que quer permanecer no poder. O processo de sucessão ao trono é  lento e ele é invariavelmente ocupado por alguém maduro o bastante. Claro que imaginar um trono real comandado por um bando de jovens insanos é meio rock n`roll mas onde estão as ideias frescas, aquele progresso forçado? O que percebo da Monarquia Britânica é (quase) a repetição dos mesmos hábitos. Enquanto o mundo mudou a rainha continua a expedir  seus certificados de benção de casamentos oficiais, permitindo a união dos dois jovens. Definitivamente, a rainha não é pop.
 
Foto: reprodução web
 
Felizes para sempre?

2 comentários:

Dirce Dias disse...

Adoro casamentos!

Joana Leal disse...

Também adoro casamentos!!